Batistas SP 04 MAR 2019 ÀS 09H00

Missionários mostram valor da qualificação para a obra

Batistas SP trouxe relato da vida de ministros de SP

Por CBESP

Atender ao chamado feito por Deus para a obra missionária exige capacitação e qualificação constante. Essa determinação também faz parte da vida dos missionários no campo paulista, conforme destaca texto da edição janeiro-fevereiro da Revista Batistas SP (BSP).

A necessidade de aperfeiçoamento é relatada a partir da vida dos pastores Zé Liberio, Moisés Alves e Oséias Ribeiro. Os três são missionários apoiados pela Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP).

Outros conteúdos da BSP 12 já foram publicados e estão disponíveis, como a reportagem de capa, que abordou a renovação da esperança frente à corrupção, o artigo do presidente da CBESP, pastor Manoel Ramires, falando da importância de se revisar a organização convencional, a coluna do diretor executivo do CAM-CBESP, pastor Adilson Santos, sobre o engajamento do cristão na transformação social do País. A próxima edição será distribuída em março. Faça seu cadastro e passe a receber em casa sua BSP.

Missionários no aprendizado*

“... antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.” (2ª Pe 3.18)

Em 2018, a Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP) lançou o Projeto Josué (veja mais na página 11 e no site da CBESP), com quatro principais objetivos, dentre os quais se destaca o planejamento para a capacitação continuada dos pastores, com treinamentos para todas as áreas eclesiásticas.  

Com nossos missionários não é diferente. Apesar do trabalho constante em seus ministérios, muitos deles têm buscado aperfeiçoamento em suas respectivas áreas, visando melhor desenvolver suas atividades. 

Zé Liberio atua com universitários (Arquivo Pessoal)

JOSÉ LIBERIO LINO DOS SANTOS -“ZÉ LIBERIO”

Aos 50 anos, casado com Juliane, fez Sociologia na USP. Fundou a Organização Casa Toca do Estudante, em 2000. A partir de 2003, firmou parceria com a Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP) para melhor desenvolver o ministério com os universitários.

E, para melhor atuar como líder entre os jovens, Zé ainda é graduado em liderança cristã avançada no HAGGAI (Cingapura); fala inglês, italiano, espanhol e alemão; é especialista em prevenção, intervenção breve e acompanhamento em drogadição pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e pela Universidade Federal de Santa Catarina; revalidou o diploma de Teologia, e agora entrou na Faculdade de Filosofia da Universidade São Paulo (USP).  

Moisés acompanha pacientes há 22 anos (Arquivo Pessoal)

MOISÉS ALVES DOS SANTOS

Capelão hospitalar em tempo integral do Hospital Tide Setúbal, em São Miguel Paulista, o professor  e pastor Moises é missionário na área hospitalar há 22 anos. Em se tratando de Missões, não há como medir a dificuldade entre um e outro ministério. No entanto, quando se fala em Capelania Hospitalar, a realidade é das mais duras. Enfrentar essa dificuldade é uma barreira a ser ultrapassada todos os dias.  

Para superá-las, pastor Moisés cursou Capelania Hospitalar no Hospital de Clínicas em São Paulo; Cuidados Paliativos, no Instituto de Infectologia Dr. Emílio Ribas; Comunicação de Más Notícias, também no Emílio Ribas, além de ter feito Pós-Graduação em Câncer e Cuidados Paliativos pelo Hospital AC Camargo, na capital de São Paulo. 

Além disso, é especialista em Tanatologia (Ciência da Morte), pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; Capelão Internacional pela UNIPAS (EUA), e professor de Medicina Legal da FASP e UNISP.  

Oseias ministra a presos e familiares (Arquivo Pessoal)

OSÉIAS RIBEIRO DOS SANTOS

Nosso missionário nos presídios fez Teologia na Faculdade Teológica Batista de São Paulo, em 1999. Em 2009, pastor Oséias foi enviado por sua igreja para atuar como missionário nos presídios masculinos de Guarulhos. Com o transcorrer do tempo, muitos frutos foram colhidos nos presídios e, por isso, o missionário foi, aos poucos, treinando e capacitando voluntários para desenvolver esse ministério. 

Essa proximidade com a realidade dos presídios o levou a fazer o curso de Direito, que se tornou uma ferramenta a mais para atuar junto às diretorias dos presídios e a outros órgãos dos direitos humanos, além de ter mais acesso aos internos para propagar o Evangelho em um ambiente tão bruto. 

Ainda, é formado em Coaching Cristão, curso ministrado na Primeira Igreja Batista de São Paulo, que o capacitou para obter melhor desempenho em diversas áreas de seu ministério. Atualmente, coordena a Capelania Prisional da CBESP, atuando nos presídios em tempo integral.

 * Reproduzido a partir da Revista Batistas SP (Ano III / Edição 12).