Batistas SP 22 FEV 2021 ÀS 09H50

Voluntariado requer gente que queira doar seu tempo

Batistas SP traz 4ª reportagem da série 'Doar é Amar'

Por CBESP

ATUALIZADO EM 26/02/2021, ÀS 14H05

Na edição especial da Revista Batistas SP (BSP), referente ao trimestre de julho a setembro de 2020, o veículo oficial da Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP) trouxe a penúltima reportagens da série "Doar é Amar". A temática visou abordar possibilidades e aspectos de atos e atitudes de generosidade. Os conteúdos foram produzidos pela jornalista colaboradora Edna Geraldo. A reportagem final publicada na BSP21 mostrou a doação do recurso singular do tempo.

A abertura tratou de doação de sangue e plaquetas e foi seguida por texto que falou da doação de bens materiais. Já o terceiro abarcou a doação de leite materno a bancos de leite humano. As revistas oferecem outros conteúdos, como artigos das lideranças batistas do Estado e de São Paulo. Clique aqui e tenha acesso a essa e a edições anteriores. As publicações estão disponíveis também na seção de conteúdo do Aplicativo CBESP.

Remindo o tempo*

Reportagem de Edna Geraldo

Serviço voluntário está na primazia da doação do tempo pessoal e da generosidade cristã em abençoar pessoas necessitadas (Canva)

Os primeiros versos do capítulo 3 do livro de Eclesiastes tratam da questão do tempo, em muitos aspectos. Há tempo de nascer e morrer e, nesse intervalo, muitas outras coisas tomam nossa atenção: plantar, colher, derrubar, edificar, chorar, rir, e tantas outras atividades que nos obrigam a administrar bem nosso tempo. 

Não obstante, muitas pessoas doam parte de seu tempo a diversas formas de atividades. A Batistas SP ouviu para esta quarta reportagem da série Doar é Amar alguns desses voluntários, e todos são unânimes em dois pontos: doar parte de seu tempo é mais simples e gratificante do que se pensa; e o voluntário é alguém mais beneficiado do que aquele a quem se estende a mão. 

Quem estende a mão anuncia o Evangelho (Canva)

Exemplo disso é o ministério Abençoados, motoclube cristão. Esse ministério é composto por motociclistas que, entendendo as necessidades de pessoas e instituições, doam parte de seu tempo para entrega de cestas básicas, bem como coleta e distribuição de donativos. “Agradecemos ao Eterno por nos permitir sermos doadores, mesmo sendo carentes e necessitados”, disse o pastor Marcos Vicente, líder do ministério. Os motociclistas se doam recolhendo e distribuindo alimentos, roupas, fraldas, material de limpeza, cobertores e tampinhas de plástico, abençoando, além de pessoas, instituições como Recanto dos Avós, Lar Batista de Crianças, Hospital do Amor de Barretos, entre outras. 

“Nosso ministério tem em seu DNA a doação. O Abençoado é aquele que abençoa, pois somente quem abençoa é abençoado, e isso o leva a abençoar outros. Aquele que não abençoa, não doa. E não doa porque não é abençoado”, conclui.

Mão de obra ajuda tanto quanto outras doações (AdobeStock)

Segundo definição das Nações Unidas, “voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos”. E o mundo presencia, neste tempo, inúmeros exemplos de voluntariado, como é o caso da psicopedagoga Jordana Tavares, da cidade de Americana.

“O trabalho voluntário sempre foi incentivado em minha casa desde a infância, e acredito que todos nós, que somos privilegiados de alguma forma, devemos ajudar na construção de um mundo melhor através da doação e do amor. Então, para ser voluntário basta, apenas, ter a vontade de ajudar, porque podemos contribuir de diferentes formas”, destacou ao citar ações de doação de horas em atividades.  

Jordana relatou ainda que teve o “prazer de poder ajudar” em um evento em prol do “Hospital do Amor”, em Barretos. “Fui convidada por uma amiga, que me trouxe a oportunidade de retribuir e agradecer o bem que esta instituição fez à minha família. Foi um domingo de muita alegria, dedicação e amor”, compartilhou.

Nos períodos de férias escolares ou de trabalho, feriados prolongados, eventos específicos ou calamidades como desastres ecológicos e incêndios, e mais atualmente, nessa época de pandemia, pode ser observado o desprendimento de pessoas dispostas a doar seu tempo. 

Nesse contexto pandêmico, o pastor Edson Almeida, da Primeira Igreja Batista de Garça, convidou a psicopedagoga Flávia Cerqueira Oliveira (47) e técnica em administração Isabella Araujo de Almeida (23) para pensarem em um modo de atender as crianças através de um trabalho virtual, com o intuito de manter os “encontros” tão necessários em tempos de distanciamento. 

Doar é construir um mundo melhor através do amor 

Com formações, idades e rotinas distintas, ambas se prepararam para o desafio de atender as crianças através de um “culto” on-line. A ação ganhou reforço de Victor Abreu (27), formado em Ciências da Computação (leia relato pessoal no box), e Denis Dias (37), gestor em Tecnologia da Informação. O tempo livre das tardes de sábado desse quarteto foi doado para levar o Evangelho aos pequenos. 

No Brasil, o Dia Nacional do Voluntariado é lembrado em 28 de agosto, e internacionalmente é comemorado em 5 de dezembro, data proclamada pela ONU, ambas com o objetivo de reconhecer e destacar a ação das pessoas que doam tempo, mão de obra e talento para causas de interesse social e para o bem da comunidade. 

O trabalho voluntário é uma atividade bem democrática. Isso porque ele beneficia todas as pessoas envolvidas, ou seja, faz bem tanto para quem recebe quanto para quem se doa.

*Reproduzido a partir da Revista Batistas SP (Ano IV / Edição 21).