Batistas SP 28 AGO 2020 ÀS 09H35

Condição atual leva a pensar sobre adoração comunitária

AMBESP dialoga sobre participações no culto público

Por CBESP

Qual é a qualidade e o tipo de adoração e adorador existentes antes, durante e após o distanciamento social de quase um semestre? Essa pergunta fundamenta o raciocínio da meditação elaborada pelo músico e ministro de Comunicação Renato Osis. O texto foi publicado no espaço da Associação dos Músicos Batistas (AMBESP) na Revista Batistas SP (BSP), publicação oficial da Convenção Batista do Estado de São Paulo. Em versão apenas digital, a BSP20 abordou a solidariedade cristã.

Com 18 páginas, pois receberá em breve o encarte da Revista de Missões SP, a edição 20 traz a terceira reportagem da série "Doar é amar", abordando a doação de leite materno. Esse conteúdo vem sendo produzido pela jornalista colaboradora Edna Geraldo. A revista traz ainda outros conteúdos, como os artigos escritos pelas lideranças das organizações batistas do estado de São Paulo. Clique aqui e tenha acesso a essa e a edições anteriores.

Mais que eventos?*

Nesses últimos tempos, nossas instituições religiosas sentiram o efeito de um tufão de necessidades do dia para a noite. As mídias sociais e os aplicativos foram incorporados em nossa rotina para que mantivéssemos uma vida social, relacional, empresarial e até espiritual.

Tecnologia veio peneirar adoração comunitária? (Freepik)

Quando olhamos para diversas igrejas, que, para tais, as tecnologias eram meras apoiadoras e mantidas em segundo plano, percebemos que se viram desamparadas. Entendendo que o tempo passou e não acompanharam a evolução do mundo e suas crescentes necessidades. Viram-se desprovidas diante de tantas necessidades a serem sanadas em tão pouco tempo.

Nossas instituições sentiram
o efeito de um tufão da noite para o dia

As reuniões se tornaram virtuais e distantes do calor, do abraço, do ouvir o irmão ao lado cantando, das mãos louvando todas juntas, das vozes divididas, dos instrumentos ressoando pelo auditório, todos adorando o Criador de tudo e de todos. Mas e agora? Como interpretar, assimilar e corrigir a rota para continuarmos em frente e sermos relevantes?

Neste momento os princípios e valores cristãos estão sendo provados. A real motivação de irmos a um local para juntos adorarmos a Deus foi escancarada. Será que nossa adoração continua genuína e sincera ou só participávamos de um evento?

Renato Osis
Ministro de Comunicação na IB Borda do Campo (SBC)

*Reproduzido a partir da Revista Batistas SP (Ano IV / Edição 20).