Batistas SP 19 FEV 2018 ÀS 16H53

Pr. Adilson Santos escreve sobre ministério e barreiras

Artigo traz relatos de pastores e do Projeto Josué

Por CBESP

Diretor Executivo do CAM-CBESP, pastor Adilson Santos compartilhou na 6ª edição da Revista Batistas SP (BSP) histórias que vivenciou em viagem missionária a Moçambique, na África.

A carência de sustento e de condições básicas para pastores no país africano não se distancia tanto da realidade de algumas igrejas batistas em São Paulo, e esses obstáculos refletem no ministério pastoral e sobre as igrejas locais.

Pastor Adilson ressalta em seu artigo "Compaixão Eclesiástica" como as iniciativas do Projeto Josué buscam suprir essas necessidades e auxiliar no crescimento de igrejas, pastores e líderes. Conheça mais sobre o Projeto Josué e entre em contato com a CBESP para fazer sua adoção pessoal. Pastores e líderes também podem tornar sua igreja uma adotante.

Essa e outras edições da BSP podem ser acessadas gratuitamente pelo link.

Compaixão Eclesiástica

Era 2005. Eu estava em Moçambique em viagem missionária. Trabalhávamos para suprir várias carências do campo. Nosso roteiro passava por Nampula, região norte do pais, área com grande quantidade de muçulmanos. Naquela altura, o seminário era dirigido pelo missionário Girlan. Falei a seminaristas e lideres sobre "Teologia e Missões". Ao final, abri para interação. Respondi perguntas e fiz perguntas. Ao perguntar sobre as necessidades deles, fui surpreendido por uma situação peculiar. 

Um dos seminaristas falou do sonho de ter uma bicicleta para vencer os vários quilômetros de sua casa ao seminário. Esta era a necessidade de muitos. Ajuda para livros, alimentação... Em meio às falas, um pastor levantou e disse: "Alguns de nós aqui não têm autoridade para pregar sobre a bondade de Deus, falar que Deus supre as necessidades, porque, quando estamos pregando, esposas e filhos estão sentados nos primeiros assentos com fome, porque não comeram nada naquele dia e sabem que, quando chegar em casa, não terão nada para preparar."

Outro disse: "Muitos de nós têm dificuldades para preparar sermão e estudar devido ao cansaço físico. Levantamos às 5h da manhã e vamos trabalhar na machamba (roça). O trabalho é duro, o sol nos castiga e depois já não temos capacidade de concentração para estudar e visitar as ovelhas." Chorei ao ouvir os relatos. Realizamos algumas ações para mitigar os efeitos desse quadro de líderes desejando dedicação integral ao ministério. Numa intensidade de carência estrutural e econômica menor, mas não menos triste, temos situações semelhantes acontecendo pelo Estado de São Paulo.

O Projeto Josué tem o foco de efetuar ações para transformar esta realidade

Pastores de igrejas abaixo de 100 membros, com dificuldades de sustento integral precisam trabalhar para completar o sustento. Muitos sonham com o momento de dedicação integral ao ministério pastoral. Temos relatos de pastores trabalhando com Uber, barbearia e várias outras tarefas, mas que, com um pouco de ajuda, poderiam estar integralmente na obra ministerial. Além disso, devido as carências, estes pastores não se recapacitam, não se atualizam, fazendo com que isto reflita na qualidade do púlpito, aconselhamento e administração da igreja.

Temos como alvo ajudar 200 pastores com um salário mínimo mensal por 3 anos. Investimentos de R$ 200 mil mensais nas menores igrejas através de adoções direcionadas aos pastores. Capacitação continuada desses adotados num sistema de imersão em módulos também por 3 anos. Os participantes serão recapacitados em áreas teológicas e ministeriais com acompanhamento de mentoria para a vida pessoal, familiar e ministerial.

As igrejas poderão adotar um pastor integralmente com um salário mínimo mensal, ou meio salário mínimo, ou ainda qualquer valor. Buscamos o envolvimento de igrejas e pastores, independentemente do valor, confiando na visão, amor e compaixão do nosso povo. Faça contato conosco para efetivar a participação da sua igreja! Vamos juntos ajudar as menores igrejas e transformar nosso Estado!

Adilson Santos
Pastor e Diretor Executivo do CAM-CBESP

* Reproduzido a partir da Revista Batistas SP (Ano II / Edição 6).