Batistas SP 13 ABR 2021 ÀS 17H37

Tempo atual traz contextos de solidariedade e Missões

UMMBESP reflete sobre momento que requer apoios

Por CBESP

O paralelo entre solidariedade, voluntariado e Missões está na linha de frente do artigo produzido para a Revista Batistas SP (BSP), veículo oficial da Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP).

O texto é do presidente da União Missionária Masculina Batista do Estado de São Paulo (UMMBESP), Valdir Elias. O autor evoca a necessidade da fé e do engajamento nessa circunstância complexa vivida pela humanidade.

Outros conteúdos da BSP21 podem ser acessados aqui no site, como as colunas do pastor Genilson Vaz, presidente da CBESP, e do pastor Adilson Santos, do diretor executivo do Conselho de Administração e Missões da CBESP. Também está acessível a terceira reportagem da série "Doar é Amar", produzida pela jornalista colaboradora Edna Geraldo. Clique aqui e baixe gratuitamente essa ou a outras edições da BSP.

Solidariedade e Missões*

Ser solidário é uma marca indelével da civilização humana. A matemática me deixa otimista. A maioria das pessoas é “boa” e solidária, por mais que muitos sejam pessimistas. Deus gostou do que fez quando criou o homem e a mulher: “ficou muito bom”. Penso que a percepção de Deus do “ter ficado bom” é 100% da qualidade do coração de quem Ele havia criado. Não se tratou, de forma nenhuma, de estereótipo.

Nascemos para o louvor de Deus e para louvá-Lo (AdobeStock)

Solidariedade está ligada ao voluntariado. No Brasil, no ano passado, cerca de 7 milhões de brasileiros fizeram algum trabalho voluntário, e a tendência é que neste ano o número seja bem maior. Voluntariado é uma escolha que nasce na alma.

A desigualdade social que persiste num país continental como o nosso, onde o índice de desenvolvimento humano (IDH) médio é 0,75, temos cidades e regiões de 0,40 (Melgaço-PA tem um dos piores IDH; São Caetano do Sul-SP, um dos maiores). Neste cenário social, há um campo vasto para aplicação da vocação solidária, em particular do povo brasileiro e, ainda mais intimamente, do povo batista brasileiro.

Há oportunidade de exercício de solidariedade em todos os contextos: urbano (nas grandes cidades), regiões periféricas (com deficiência educacional e sanitária), nos sertões áridos ou semiáridos, na região amazônica junto aos ribeirinhos, e ainda ao longo das rodovias do país com prostituição infantil e abuso sexual. O livro “Ministério da Misericórdia - o chamado para estrada de Jericó” traz importantes reflexões sobre a prática da solidariedade, voluntariado e misericórdia.

Existe em todos os contextos sociais
uma oportunidade à atuação solidária

Poucos assuntos foram tema de interesse mundial como o coronavírus (Covid-19). A pandemia é mundial e a solidariedade também deve ser sem fronteiras. Embora seja um momento trágico, devemos aproveitar a oportunidade para escrever uma nova história a partir das experiências múltiplas vividas e que ainda viveremos: contaminados, curados, enlutados, recuperandos, desempregados, dificuldades financeiras das empresas e de países, falências. Penso que o mundo será dividido entre antes e depois da pandemia, este pós-pandemia será marcado por atitudes que irão valorizar a vida, inclusive pelos que a minimizam. As consequências e realidades nos colocam em uma nova ordem nas nossas relações.

Falar em Missões em meio à pandemia, o imperativo da solidariedade, me parece oportuno, não “oportunista”. É preciso fazer uma leitura do novo contexto e aplicar novos métodos estratégicos para levar pessoas a abraçarem a fé cristã evangélica, é tempo de quebras de paradigmas de métodos que não serão mais eficazes neste tempo.

Nossa comunidade cristã batista tem o grande desafio de continuar fazendo Missões em meio e pós-pandemia. A solidariedade e a misericórdia na prática mostrarão o amor de Jesus em cada um de nós. Um dos cinco eixos do projeto Igreja Multiplicadora nos direciona para um tempo de fazer missões com compaixão e graça.

Valdir Elias Marcelino
Presidente da UMMBESP

*Reproduzido a partir da Revista Batistas SP (Ano IV / Edição 21).