Batistas SP 28 OUT 2020 ÀS 13H35

Instrução e consolo do Céu são essenciais na hora difícil

Palavra é instrumento divino para acalmar coração

Por CBESP

A sensação de dificuldade em lidar com este momento atual e sua complexidade está no ponto central do artigo escrito por Rita Odwyer Andrade, presidente da União de Esposas dos Pastores (UEPBESP). O texto está entre os publicados na edição 20 da Revista Batistas SP (BSP), veículo oficial da Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP). Em versão exclusivamente digital, a BSP20 tratou em sua reportagem principal do tema solidariedade.

A revista traz a terceira reportagem da série "Doar é amar", abordando a doação de leite materno. Esse conteúdo vem sendo produzido pela jornalista colaboradora Edna Geraldo. A revista traz ainda outros conteúdos, como os artigos escritos pelas lideranças das organizações batistas do estado de São Paulo. Clique aqui e tenha acesso a essa e a edições anteriores.

Esperança que não morre*

Suporte emocional é essencial em tempos difíceis (Canva)

Estamos passando por um tempo estranho, que nos incomoda e por si só adoece. Estamos aprendendo nova forma de viver, de conhecer quem mora conosco, de conviver. Há pessoas entrando em depressão, angústia, ansiedade, por não poderem sair. Mesmo quem fica em casa está aflito com isso. 

As informações que recebemos nos afligem ainda mais, por serem contraditórias, muitas descobrimos mentirosas e tendenciosas. Interesses políticos misturados com saúde - sua, de sua família, de sua comunidade! Como enfrentar o fato de estar sem poder trabalhar, sendo assombrados pelo desemprego e pela doença? Como passar por tudo isso com serenidade, sabedoria e paz?

Não sei o que está fazendo, mas eu procuro instrução na Palavra, porque sei que ela não mente, não falha, não engana, não desaponta, não joga com interesses, mas é sim a verdade que liberta, conforta e dá vitória. Há conforto em textos como Salmo 119.116 (“Sustenta-me... e não deixes que eu seja envergonhado em minha esperança”) e Isaías 49.15-16 (“Pode uma mãe esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo Eu não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos eu te gravei...”). Que conforto maravilhoso, saber que Deus me vê nas palmas das Suas mãos! Lá estão os cravos da cruz.

Na Palavra de Deus encontro instrução para lidar com todas as facetas deste tempo, acalmo meu coração, cumpro com minhas obrigações, intercedendo pelas autoridades, por nosso povo, por nossa terra. Esconda-se no colo do Senhor, aprenda esse novo viver, confiando na vida que é Cristo em nós.

Rita Odwyer Andrade
Presidente da UEPBESP

* Reproduzido a partir da Revista Batistas SP (Ano IV / Edição 20).