Batistas SP 25 SET 2018 ÀS 15H07

'Pausas levam a perceber como Deus age no mundo'

Ministra Tânia Kammer faz reflexão sobre Salmo 32

Por CBESP

Refletindo sobre espiritualidade a partir do texto bíblico em Salmos, a ministra de música na Igreja Evangélica Batista no Alto da Mooca Tânia Kammer faz alegoria entre a música e as ferramentas de Deus para falar à humanidade.

O texto da 2ª secretária da Associação dos Músicos Batistas do Estado de São Paulo (AMBESP) foi publicado na 9ª edição da Revista Batistas SP (BSP).

A AMBESP participou da 110ª Assembleia da Convenção Batista do Estado de São Paulo (CBESP) ministrando as músicas através de equipes de louvor, coros e musicistas.

Recentemente, o presidente da Associação, ministro Marcos Emmanuel, ressaltou a importância da participação dos líderes de músicas na Pesquisa para Planejamento Estratégico, realizado pela Convenção entre líderes das igrejas batistas no Estado. 

Faça o seu cadastro e receba sem custo a edição impressa no endereço que preferir. Para fazer o download desta e das edições anteriores, basta acessar o link. Aproveite e baixe a BSP 10, que traz na capa reportagem sobre aborto.

Deus fala nas pausas*

Meditando no Salmo 32, descobri que Deus fala nas pausas. Na música, pausa é silêncio. É ausência de som. Mas a música sem as pausas não teria sentido, assim como não tem sentido frases sem as pontuações: (vírgulas, ponto final, interrogação etc.).

Ministra usa pausas musicais para fazer aplicação do Salmo 32

Pois bem. Lendo o Salmo 32, posso ver pelo menos três pausas. 

1. A primeira vem após o verso quatro. O salmista fala da alegria do perdão e recorda como estava sofrendo enquanto a mão do Senhor pesava sobre ele. Então vem a pausa. O "Selah" para refletir.

2. Depois da reflexão, ele compartilha a solução que encontrou para as suas angústias: reconhecer os erros, confessá-los e receber perdão. Segue-se mais uma pausa.

3. Ele aconselha a todos que façam o mesmo enquanto é tempo, e transmite a certeza que de agora em diante o Senhor vai preservá-lo e cercá-lo de canções de livramento. Segue-se mais uma pausa. Talvez, para imaginar como seria essa nova etapa da vida.Então, nessa pausa, o Senhor mesmo fala (atenção para a primeira pessoa na conjugação do verbo): "Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir, eu o aconselharei e cuidarei de você."

Por fim, o salmista encerra o diálogo, aconselhando a todos para "não serem como cavalos ou burros", pois estes não têm entendimento e não obedecem a não ser pelo sofrimento (arreios, rédeas). Pelo contrário! Alegrem-se no Senhor e exultem, pois a bondade do Senhor protege quem nEle confia. 

Tânia Kammer
2ª secretária da AMBESP e ministra de música na Igreja Evangélica Batista no Alto da Mooca (CETM)

* Reproduzido a partir da Revista Batistas SP (Ano II / Edição 9).

Publicidade Bloco Artigos - Lar Batista